1 comentário

Yoga, Movimento, Harmonia e Perfeição.

Yoga, Movimento, Harmonia e Perfeição.

“Os Asanas são posições específicas do corpo que abrem os canais de energia e centros psíquicos. Eles são ferramentas para elevar a consciência e prover uma fundação estável para nossa auto-exploração do corpo, respiração, mente e espírito. Os hatha yogues também entendem que desenvolvendo o controle do corpo com o asana, a mente também será controlada.”

Swami Satyananda Saraswati

Atividades físicas e saúde.

Os benefícios proporcionados pelas atividades físicas e pelo esporte já se tornaram  uma unanimidade entre os profissionais de saúde. Mas como o yoga, ou o Tantra Yoga especificamente, pode se relacionar com isso? Qual o objetivo do movimento ou da atividade física no yoga?

De pronto podemos afirmar que um dos resultados mais diretos da prática do yoga, o aprimoramento das capacidades físico-anatômicas, não é o objetivo precípuo desta prática, e sim um meio ou um caminho para que seja atingida sua verdadeira meta. Ter um corpo saudável, bonito e flexível não é um fim em si para o yoga. Embora desejável e necessário o incremento das capacidades físicas do corpo é um dos passos para que seja alcançado o equilíbrio da personalidade, objetivo específico da prática tântrica.  Afinal, como sabemos, o corpo e a mente não são entidades separadas. Assim, quando atuamos no corpo, atuamos simultaneamente na mente (aí incluídas as emoções e o subconsciente) e vice-versa.

O Movimento no Yoga

Poderíamos afirmar, de forma sintética, que a prática tântrica visa o equilíbrio da personalidade através da perfeição e harmonia do movimento. Visto através da perspectiva tântrica, a perfeição do movimento é obtida não através da repetição de um modelo perfeito de postura, ou do extrapolamento dos limites corporais, como podemos observar em revistas e livros do gênero, o que nos leva a pensar:  nunca vou conseguir fazer isso!  Não estamos falando aqui de exibições circenses ou mesmo de ginástica olímpica ou rítmica, belos esportes, onde o aspecto estético, para ser visto de fora, é o que mais importa. Na prática tântrica a única competição é contra os nossos próprios limites pessoais, contra nossos eventuais bloqueios físicos, emocionais e psicológicos. Há a busca da superação de si mesmo a cada momento e não da imitação de um modelo estético exterior predeterminado. Cada indivíduo é convidado a conhecer profundamente seu corpo, suas limitações e aprender a superá-las pouco a pouco, sem ansiedade, pois não é possível pular etapas. Devemos vivenciar cada estágio evolutivo da prática pessoal em sua plenitude.

Movimento sem movimento?

Outra peculiaridade do movimento no yoga é que existem movimentos estáticos nos quais é alcançada uma postura (ou asana, em sânscrito) onde se permanece algum tempo imóvel. Embora aparentemente estática à primeira vista, a postura é precedida de um processo de “montagem” que é tão importante quanto o seu resultado final. Cada estágio do movimento que direciona para formação do asana, prepara o corpo para que sua posição final se torne completa e perfeita. A pose ou postura final funciona, dessa forma, como a coroação de uma série de movimentos harmônicos e perfeitos efetuados preliminarmente. E então, quando se chega ao asana proposto, embora o corpo esteja aparentemente imóvel, um grande fluxo interno de movimentos está acontecendo. Seu corpo procura manter-se em equilíbrio, direcionando sua atenção e energia para determinadas partes do corpo. Sua mente precisa permanecer focada para que você comece a perceber quais músculos e tendões estão sendo exigidos e você começará a perceber que apenas algumas partes do corpo precisam fazer força enquanto outras devem permanecer relaxadas. E quando, num estágio posterior, consegue-se permanecer confortável na postura, começa-se a entrar em contato com os efeitos do asana em toda sua plenitude, percebendo esse turbilhão de movimentos internos que ocorrem nos níveis físico, energético e psicológico.

Através do movimento perfeito e harmônico do corpo é induzido um estado em que o fluxo energético corporal alcança um equilíbrio dinâmico entre corpo, emoção, mente e espírito, harmonizando as duas faces da dualidade: o aspecto masculino, simbolizado por Shiva, e o aspecto feminino, simbolizado por Shakti. Assim, conecta-se o sol com a lua, o lado direito com o lado esquerdo, a ação e a comunhão, ou como afirma Georg Feuerstein:

“Na terminologia hindu (tântrica), o amor perfeito é o que se dá entre Shiva e Shakti, entre o aspecto tranqüilo e imóvel do Todo (concebido como masculino) e seu aspecto dinâmico (concebido como feminino). O Deus Shiva e a Deusa Shakti entregam-se eternamente um ao outro num abraço beatífico. Ou seja, o Absoluto ou Realidade Divina é o seu próprio sacrifício: é Ser e Vir-a-Ser, Estado e Processo.”

Quando conseguimos atingir este Amor Perfeito, caminhamos rumo à Unidade e percebemos que já somos e sempre fomos aquela felicidade que tanto buscávamos.

VOLTAR AO INÍCIO

Um comentário em “Yoga, Movimento, Harmonia e Perfeição.

  1. Olá! Estou grávida de cinco semanas e gostaria de saber se posso fazer aula de yoga com vocês.
    Carol

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: