Deixe um comentário

A Kundalini, na visão de Ken Wilber

A Kundalini, na visão de Ken Wilber (1)

De acordo com a disciplina da kundalini ioga (e totalmente independente de confirmação da psicologia ocidental), a humanidade contém de fato todos os níveis mais elevados de consciência como um potencial genuíno, um potencial conhecido em termos genéricos como “energia kundalini”, que parece jazer dormente, adormecido, no inconsciente (o inconsciente essencial) de todos os homens e mulheres. E o estado mais baixo da kundalini – o estado no qual ela inicialmente dorme, aguardando chegar a níveis mais altos – é sempre representado por uma serpente (chamado aliás de “a energia da serpente”), enrolada na base da coluna vertebral humana, o “chakra” inferior. Isso significa simplesmente que o potencial humano para a consciência mais elevada começa no ponto mais baixo do seu ser, no primeiro chakra, o centro dos impulsos materiais, pleromáticos, alimentares, de sobrevivência básica (o primeiro chakra representa alimento e matéria física). A partir desse estado inferior (chakra), a energia da serpente (a consciência propriamente dita) evolui ou desperta para centros de conscientização sucessivamente mais elevados, movendo-se precisamente pelos níveis do Grande Ninho do Ser, do estado material ou natural mais baixo(2) em direção ao centro do cérebro-mente(3), até os estados verdadeiramente superconscientes(4). Desse ponto de vista, a evolução da consciência é a evolução para cima da energia da serpente e, de acordo com os textos da tradição kundalini, essa energia, em seu ponto de partida primitivo, é exatamente representada pelo uroboro, a serpente do Éden. Além disso, a serpente-uroboro não é vista como um simples símbolo arbitrário, mas como uma representação literal da forma verdadeira do estado inferior do inconsciente essencial, uma forma vivamente desvelada nas disciplinas meditativas da kundalini ioga e universalmente reconhecida por todas as disciplinas semelhantes – uma afirmação que considero, em geral, perfeitamente sustentável.

Fig. 1 – O Grande Ninho do Ser de acordo com a kundalini, mostrando os sete principais chakras (estágios/níveis) como aparecem no indivíduo composto humano. As duas linhas curvas representam, aproximadamente, as correntes simpáticas e parassimpáticas no corpo e funções do hemisfério direito e esquerdo no cérebro. A localização dos centros dos chakras não é meramente simbólica, mas real. O primeiro chakra (anal) representa a matéria (como no bolo fecal); o segundo, o sexo (órgãos genitais); o terceiro, reações viscerais (emoções, energia, vitalidade); o quarto, amor e sensação de pertencimento (coração); o quinto, o intelecto discursivo (centro da linguagem); o sexto, energias mental-psíquicas mais elevadas (neocórtex); e o sétimo, no próprio cérebro e além, a transcendência. Não existe absolutamente nada “oculto” ou misterioso a respeito dessa localização.

Notas:

1- Éden – Queda ou Ascensão? Uma visão transpessoal da evolução humana – ed. Verus.

Ken Wilber é um dos mais importantes filósofos da atualidade. Pelo pioneirismo de seu pensamento, já foi chamado de “Einstein da Consciencia”. É atualmente o autor acadêmico mais traduzido dos Estados Unidos.

2- Muladhara Chakra

3- Ajna Chakra

4- Sahasrara Chakra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: